terça-feira, 8 de março de 2011

Às Marias


Hoje é dia de Maria...

Maria dos morros dos velórios
das sacadas das calçadas
dos achados dos perdidos

da Maria-vai-com-as-outras
e da outra, a que fica

Daquela Maria que almeja
paixão preguiçosa
que mexe remexe acomoda
(não se atreve ir embora)
traveste-se em amor

Também da Maria-abismo
antro de perdição
Maria-bordô!

Da Maria de encantos mil...

Maria-rosa chocolate
branco neve algodão doce
Maria-espinho

Importada nacional
acadêmica analfabeta
executiva piloto de fogão

Maria do príncipe
(futebolístico ou não)
Maria que ama Maria...

Daquela que crê que reza que implora
que vai à igreja que despacha na esquina
que não dá bola

Maria da fome, dos talheres de prata
erudita popular
(“ir-me-ei...; toma lá da cá!”)

Maria boêmia abstêmica
avião balão
Maria, Maria...

Bruta lapidada
peçonhenta panaceica
(dese)equilibrada
puta indissoluta
(r)evolução estelar

Todas belas, todas manias
com ou sem cria
Marias emoção!

Sim, todo dia é dia de Maria!
que tomba levanta que sonha
que cala, das vozes-maria

Maria (im)perfeição
Maria poesia

- Ave, Maria!




Dados sobre a Autora:

Lou Vilela é natural de Natal-RN, residente na cidade do Recife-PE. Formada em Administração, com Especialização em Logística Estratégica, atua no sistema público federal há alguns anos e, simultaneamente, dedica-se às atividades literárias. Na web, a autora expande a sua voz nos blogs pessoais: Nudez Poética, Histórias (re)inventadas e Ritmos e Rimas, sendo este último dedicado às crianças. E é assídua colaboradora nos espaços coletivos “Maria Clara: simplesmente poesia” e “O Gato da Odete”. Contatos com a autora: louvilela@hotmail.com





Referência:

VILELA, Lou. Às Marias. In: FERNANDES, Hercília (Org.). Maria Clara: uniVersos femininos. São Paulo: LivroPronto Editora, 2010, p. 99-100.


*Imagem localizada no Google sem indicação de autoria.

12 comentários:

  1. Beijo à Lou, essa grande poetisa. Beijo a vc, Hercília, que faz sábias escolhas poéticas. E beijos a todas as Marias desse mundão à fora, que fazem seu trabalho e levam sua rotina com poesia!

    ResponderExcluir
  2. Bom estar aqui reverenciando as Marias. ;)

    Um beijo à todas pelo oito e pelos outros tantos!

    Lou

    ResponderExcluir
  3. Bravo Hercília!

    Bela a escolha da Lou para representar as mil marias que existem em cada uma de nós.

    Beijos

    Mirze

    ResponderExcluir
  4. Sandrio e Fátima,
    feliz com a visita de vocês, sejam sempre bem vindos!

    Lara,
    eu adoro este poema da Lou, penso que diz tudo e um pouco mais sobre os uniVersos femininos.

    Lou,
    alegra-me que tenha apreciado a postagem. Sinto-me honrada por dispor da companhia dos seus versos.

    Mirze,
    concordo que somos múltiplas, há muitas "marias" - acrescento - "claras" em cada uma de nós; posto sermos conscientes das sombras & luzes que, paradoxalmente, compõem a nossa historio(grafia).

    Beijos em todas e todos,
    H.F.

    ResponderExcluir
  5. Na procura dum determinado tema poético vim dá aqui, ontem no beco notificaram teu niver, tbm no face, estamos nos encontrando... bom resolvi ficar, e ficando deixo-lhe um abraço.

    ResponderExcluir
  6. a lou foi uma das primeiras poetas que eu conheci quando cheguei na blogosfera.

    tem um senso crítico apurado que não destoa com a leveza dos seus versos e nem com a sensualidade de seus poemas. é uma poeta ímpar e eu sou um pequeno-grande admirador.

    bjos em vocês duas que merecem ser reverenciadas sempre.

    ft

    ResponderExcluir